sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O primeiro (pequeno) susto

Hoje estreamo-nos nos sustos infantis.

Quando estava a dar o leitinho à Sofia lá prás 7 da manhã, reparei que tinha sangue seco no ouvido. Quando acordei o maridão reparamos que também tinha na fronha da almofada (a Sofia dorme sem almofada mas ponho sempre a fronha na cama não vá ela bolçar...).Bom, lá começa o reboliço vestir, tirar cocó da fralda e marchar para o Centro de Saúde que tinha as consultas a começar por essa hora.

Entretanto a Sofia estava bem-disposta, sem febre, não estava molinha nem rabugenta nem nada... à partida não seria nada de especial mas pelo sim pelo não lá fomos à médica nossa médica de família (que por sinal é uma simpatia e muito delicada, temos muita sorte).

E realmente não era nada de especial. No ouvido a médica não encontrou nada, só tinha o sangue na parte externa da orelha. Depois de limpa (e da Sofia muito chorar) lá vimos o que se tinha passado. Tinha um pequeno arranhão que deve ter sido feito por ela com as unhas e que sangrou um pouquinho. Do mal, o menos. Um alívio.

No meio disto tudo gostei de saber que consegui estar bastante calma e objectiva durante todo este tempo. Primeiro as diligencias que têm que ser tomada e depois pensamos no stress e mãe. Deu-me alguma tranquilidade para pensar que se algum dia houver alguma coisa de realmente grave com a Sofia, talvez consiga ter a cabeça fria para reagir ao que for preciso. Por vezes a maneira eficaz de reagir nesses acontecimentos pode fazer toda a diferença para um bom resultado.

2 comentários:

Francisca Patanisca disse...

Ainda bem que foi só um susto! Foi o início de uma longa caminhada! Não te quero assustar, mas vais ter muitos desses... É normal... E nós somos muito mais fortes do que pensamos! Somos MÃES!!!

Rit♥Catita disse...

Ás vezes surpreendemo-nos connosco mesmas quando nos apercebemos que temos mais maturidade do que aquela que imaginamos ter.
Espero que um dia também eu faça como tu. Mantenha a cabeça fria para poder reagir com rapidez sem stressar.